México, a nostalgia ao gosto de hoje

Nos bairros antigos, antigas moradias transformam-se em esplanadas ou em restaurantes, enquanto o delicioso Mezcal* leva alto as cores do México.

Enviar a um amigo

PREPARAR O CENÁRIO

A meio caminho entre as duas Américas, o México – uma das maiores cidades do mundo – convida à viagem. Chefs viajados trouxeram consigo os sabores de outras paragens para melhor os reinventar aqui, enquanto nas pequenas tascas escondidas, os turistas experimentam bebidas particularmente apimentadas… Entre modernidade e nostalgia, a cidade nunca optou verdadeiramente, e é fácil passar por edifícios antigos com jardins exuberantes, museus um pouco desfasados com esplanadas sobre a cidade, ideais para usufruir do célebre sol do México.

AS NOSSAS SUGESTÕES

Condesa

No bairro artístico da cidade do México, as grandes árvores projetam a sua sombra na fachada do Hotel Condesa DF. Embora o edifício, concebido por um arquiteto francês no início do século XX, pareça à primeira vista clássico, o seu interior é totalmente moderno. A decoração dos quarenta quartos inspira-se na natureza circundante. A mais bela das suites dispõe mesmo de uma varanda que permite admirar toda a cidade. Enquanto não chega a hora de mergulhar entre os lençóis, é imperativo dar um saltinho à pista de dança ou deter-se no Patio, o restaurante do chef Cesar Castañeda.

Avenue Veracruz 102, Roma Nte, 06700 Ciudad de México
€€€

Casa Bosques

Com a sua iluminação doce e os seus bonitos móveis em madeira, a Casa Bosques assemelha-se a um pequeno lar. As várias divisões, organizadas como quartos e salas, convidam a deixar passar o tempo consultando os bonitos livros sobre arquitetura, fotografia, design ou literatura. O local acolhe igualmente eventos, como encontros ou sessões de autógrafos. É impossível ir-se embora sem acompanhar o seu livro com uma tablete de chocolate da casa, cujos sabores – tal como os livros da seleção – foram escolhidos com gosto.

Cordoba 25, Roma Nte, 06700 Ciudad de México

La Clandestina

Fiel ao seu nome, a Clandestina avança dissimulada, sendo o local simplesmente indicado por uma placa discreta… Mas por trás da sua fachada com ares de pequena loja familiar, este bar esconde um tesouro: o Mezcal, bebida alcoólica à base de agave, de que a Clandestina fez uma especialidade. Basta instalar-se num dos bancos de madeira, aproximar uma velha lanterna para se alumiar e escolher um pichel: as receitas, numerosas, levam-no até ao fim do mundo. E não se espante se encontrar, no fundo da garrafa, uma larva de verme ou um escorpião, que fazem, claro está, parte da degustação…
*O abuso do álcool é perigoso para a saúde; consuma com moderação

Avenida Alvaro Obregón 298, Colina Condesa, 06140 Cuauhtémoc



Rosetta

A chef Elena Reygadas, depois de ter estudado cozinha francesa em Nova Iorque, partiu formar-se em cozinha italiana, em Londres, antes de abrir um restaurante de cozinha tradicional… no México! Esta bela volta ao mundo ganha vida nos pratos do Rosetta, uma bela moradia transformada em restaurante, com risottos e tagliatelles vindos da Europa, um pão caseiro e belas garrafas de vinho tinto. À imagem da proprietária, a carta gosta de mudar de ares; todos os pratos são de estação, é raro comer duas vezes a mesma coisa no Rosetta.


Colima 166, Colina Roma Norte, 06700 Cuauhtémoc
€€
MODO

O museu MODO é o museu do objeto do objeto. Mas do que se trata? Trata-se na verdade de uma coleção que conta com várias dezenas de milhares de recipientes, embalagens e publicidades, todo o material de comunicação e de acondicionamento que serve para apresentar um produto. Num prédio Art nouveau, com perto de um século de idade, é de facto o aspeto temporário e perecível destes artefactos que é realçado. Estes objetos espantosos e raros pintam um quadro original da sociedade mexicana, desde o século XIX até aos nossos dias.

Colima 145, La Roma, 06100 Ciudad de México